sexta-feira, 21 de março de 2014

# 67 : Dia Internacional da Poesia - o meu poema favorito // International Day of Poetry - my favorite poem

(English version below)


Para comemorar o Dia Internacional da Poesia, aqui deixo um dos meus poemas favoritos. Os leitores que não falam português vão ter de me desculpar desta vez, mas certamente compreenderão que a poesia não se traduz, pertence apenas à língua em que é escrita..

Deriva, VIII

Vi as águas os cabos vi as ilhas
E o longo baloiçar dos coqueirais
Vi lagunas azuis como safiras
Rápidas aves furtivos animais
Vi prodígios espantos maravilhas
Vi homens nus bailando nos areais
E ouvi o fundo som das suas falas
Que já nenhum de nós entendeu mais
Vi ferros e vi setas e vi lanças
Oiro também à flor das ondas finas
E o diverso fulgor dos outros metais
Vi pérolas e conchas e corais
Desertos fontes trémulas campinas
Vi o rosto de Eurydice das neblinas
Vi o frescor das coisas naturais
Só do Preste João não vi sinais

As ordens que levava não cumpri
E assim contando tudo quanto vi
Não sei se tudo errei ou descobri

Sophia de Mello Breyner Andresen, 1982

--

To celebrate the International Day of Poetry, here I leave one of my favorite poems. Thye readers who do not speak Portuguese will have to forgive me this time, but they will understand that poetry isn't translated, it belongs only to the language in which it is written..