terça-feira, 10 de setembro de 2013

# 148 : Confissões de uma coffeeholic - o café de saco // Confessions of a coffeeholic - the bag coffee

(English version below)

Não podia ter passado pelo Brasil sem aprender a técnica do café de saco. Embora fraco, o café de saco é delicioso, uma bebida bem reconfortante de manhã ou ao jantar, quando o calor lá fora não é sufocante.
Tudo começa por se aquecer a água, no fogão como manda a tradição, enchendo a chaleira até à marca (chaleira com vida já tem a marca da agua bem gravada).



Enquanto a água aquece, enchemos o saco com café a gosto (de boa qualidade como se quer e, no nosso caso, com 3 colheres de sopa bem cheias). Pegamos noutra chaleira e começamos o processo..



De saco aberto, vertemos água sobre o saco até o acharmos "cheio", enrolamos os pauzinhos um sobre o outro para "apertar o café" e com uma colher ou uma faca esprememos. Repetimos estes passos as vezes necessárias até acabarmos a água.



O resultado é um café "fresquinho", como se diz por lá, e delicioso...

--

It could not have gone through Brazil without learning the technique of "the bag coffee". Although weak, the bag coffee is delicious, comforting and the perfect drink, in the morning or in the evening, when the heat outside is not suffocating.
It all starts by getting those to water, on the stove as tradition dictates, filling the kettle up to the mark (kettle with life already has the mark of the water well recorded). While the water heats, fill the bag with coffee (good quality and, in our case, with 3 tablespoons well filled). We took another kettle and begin the process. With the bag bag open, have shed water over the bag until we find is the "filled". We wrapped chopsticks on each other to "push the coffee" and with a spoon or a knife squeezed. We repeat these steps as often as necessary to finish the water.
The result is a coffee "freshly baked", as they say there, and delicious ...